Abigai

Março 20 2013

 

 

Cá estou eu de volta... e para descansar e agradecer todos que ficaram de certa forma preocupados com o estado de espírito patente no último post, saliento: "bem" de volta e pronta para enfrentar mais adversidades...

Não vou negar que estava ligeiramente em baixo, contudo, não deixei de referir que sou uma optimista nata! E como tal, regresso com muitas mudanças...

Como já era de prever pela referência que fiz anteriormente aos recentes problemas laborais, estou com salários em atraso desde Janeiro e a aguardar a conclusão do processo de despedimento colectivo em curso na empresa onde exerço e no qual fui englobada. Estou há cerca de 5 semanas em casa, uma vez que o local onde prestava serviço já fechou portas. Obviamente estou preocupada com os vencimentos em atraso e com o facto de ainda não estar oficialmente desempregada, pois só então irei passar a receber o subsídio de desemprego.

Contudo - e mais uma vez, lá vem o meu optimismo -, não estou há 5 semanas de férias. Decidi aproveitar a sugestão do nosso sábio primeiro ministro e, sendo o desemprego uma oportunidade, decidi dar uma volta à minha vida. Não que já não tivesse pensado nisso - até porque, tendo em conta a minha patologia, é de prever que um dia tenha que deixar de trabalhar -, mas planeava tomar esta iniciativa dentro de uns anitos e não agora.

O meu trabalho consiste em projectar móveis e decoração em foto-realismo tridimensional. Há uns anos, fiquei com uma licença do software que utilizo, como forma de pagamento de outros salários em atraso, numa outra empresa... até parece que a precariedade me persegue! Trata-se de um software caríssimo, que não faz milagres mas que não anda longe disso. Desde então, tenho utilizado essa licença para elaborar alguns projectos por minha conta, poucos pela falta de tempo que sobra a quem trabalha a tempo inteiro, mas tem sido um complemento mensal simpático.

Uma vez que estava em casa, resolvi procurar mais cliente. Pensei muito, planeei criar uma página na internet, enviar e-mails a empresa para apresentar e oferecer os meus serviços, até iniciei um projecto completo de raiz a partir de um loft totalmente idealizado, projectado, mobilado e decorado... Mas não passaram de planos! Não tive nem tempo nem oportunidade!

Quero crer que este incansável optimismo consegue captar e atrair suficiente energia positiva para que tudo possa acontecer... Sem procurá-los - até porque ainda estou numa fase de transição -, os clientes surgiram, encontraram-me e de um momento para o outro, fiquei sem tempo!

Sei que ser freelancer é incerto, tenho consciência que não terei o mesmo vencimento que tinha, ainda tenho também muito que planear e organizar - ser trabalhador independente também fica caro! -, contudo, de uma coisa eu não tenho qualquer dúvida: posso até ter que apertar o cinto e ter que adquirir novos hábitos de consumo, mas maior qualidade de vida tenho a certeza que não irei encontrar. Trabalhar em casa, ao ritmo que mais me convier, ter mais tempo para a casa e para o G., para preparar as refeições e acompanhar os estudos, é realmente fabuloso...

 

 

 

publicado por Abigai às 02:45

Porque foi a primeira palavra do meu filho, e de nada querer dizer, diz-me muito...
mais sobre mim
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


Posts mais comentados
Visitas
pesquisar
 
Facebook
Portal dos Sites
subscrever feeds
blogs SAPO