Abigai

Fevereiro 01 2010

Mais uma vez cá estou eu para falar do meu filho.

O G. é uma criança muito doce e meiga mas sem qualquer controle dos seus impulsos.
A cada dia que passa é mais provocador, mais respondão, mais agitado, mais impulsivo, mais, mais e mais…
Sei que é comum a qualquer hiperactivo, sei que devo falar com paciência mas com firmeza, sei que se me torno mais brusca, mais violento ele vai ser, sei que não tem culpa, mas há dias que não há paciência que aguente.
A Teresa explica bem isso aqui neste post.
Não é que seja um hiperactivo mesmo muito activo, comparado com outros até posso dizer que é um “santo”, mas é muito difícil acompanhar a pedalada…
Além disso e como desgasta muito, passa-me o dia a comer, está constantemente com fome e, quando acontece irmos a casa de algum casal amigo, a festas de aniversário ou outras ocasiões, fico sem saber o que dizer tão grande é o apetite dele… ainda ficam a pensar que não lhe dou comida em casa!
Quando o vou buscar ao ATL, ouço sempre comentários do género “olhe que ele hoje comeu 3 pratos de sopa e 2 condutos, e ainda queria mais…”, “olhe que ele hoje ao lanche pediu sopa…”, etc… Qualquer dia começam a cobrar mais!
Felizmente, de tanto desgastar, não engorda. Se tivesse que cortar na comida, seria uma criança muito infeliz!
Nunca tive que me preocupar com a alimentação dele. Além de comer muito bem, só quer alimentos saudáveis, não gosta de fastfood, não gosta de gorduras, não come muitos doces, prefere salgados e não prescinde de um bom prato de sopa.
Quando iniciou a medicação há cerca de 2 anos, a pedopsiquiatra que o acompanha avisou-me que cortava o apetite e que tinha que vigiá-lo bem para adaptá-la caso perdesse peso. Se de facto faz perder o apetite, então ainda bem, caso contrário tinha que trabalhar a dobrar só para o sustentar!
publicado por Abigai às 19:01

é de facto um problema controlar a impulsividade na alimentação deles...O Rafa passa por extremos - a medicação retira-lhe o apetite e altera-lhe o sabor dos alimentos (por exemplo diz que detesta coisas que normalmente adora, por saberem mal...) mas quando passa este efeito do psicoestimulante, começa o efeito da risperidona - então é vê-lo devorar tudo o que lhe aparece, tal como o G. adora salgados, molhos e picantes. Também arroz, feijão, massas e batata assada, pouca carne e só atum, sardinha e salmão nos peixes...
quanto a mantê-lo à mesa, é impossível, claro, bem como comer com modos...aliás parece sempre tâo esfomeado que se julgaria que nunca tem o que comer!
Mas como sabes, temos de manter a rotina, em horários, modos e regras! com calma e paciência eles vão chegar lá!
beijocas muitas
energia-a-mais a 9 de Fevereiro de 2010 às 11:15

É bem verdade, parece sempre esfomeado! Por norma a medicação não lhe retira nem sabor nem apetite (se bem que quando não toma Ritalina, come a dobrar!), pois a toma é cedo - por volta das 7h30 - e tem aulas até às 13h00. Nessa altura já tem apetite e come MUITO BEM. Quando às vezes tem que estudar ao Domingo, dou-lhe a medicação mas mais tarde, e nesses dias - felizmente raros - só almoças por volta das 15h00 e passa o resto do dia a comer, sempre com fome!
Não há nada mesmo do que a rotina, com horários decentes!
Bjs,
Anabela
Abigai a 9 de Fevereiro de 2010 às 11:27

Porque foi a primeira palavra do meu filho, e de nada querer dizer, diz-me muito...
mais sobre mim
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
26
27

28


Posts mais comentados
Visitas
pesquisar
 
Facebook
Portal dos Sites
blogs SAPO