Abigai

Outubro 14 2011

 

 

Não aconteceu comigo... mas aconteceu com a minha irmã!

Cliente da Companhia de Seguros Allianz há mais de 10 anos, nunca teve necessidade de recorrer ou accionar a apólice do carro.

Há cerca de 1 mês, deu um pequeno toque. Os estragos foram mínimos, apenas uns arranhões no pára-choques do outro veículo, e acionou o seguro... afinal, para que os temos?

Preencheu a declaração amigável, entregou a sua cópia a companhia e esqueceu o assunto.

Chegou a ser contactada pela companhia do outro veículo - queriam saber se se dava como culpada -, e, nessa altura, além de responder que o sinistro estava relatado na declaração e nada mais tinha a acrescentar, disse também que caso tivessem dúvidas ou questões, teriam que esclarecê-las com a companhia e não com ela.

Para isso pagamos seguros, para que nos tratem dos sinistros, apurem responsabilidades e resolvam entre companhias o que houver a resolver.

Ou não será assim?

Pois bem... talvez não seja assim tão simples. Ou talvez dê muito trabalho. Ou talvez 10 anos sem dar problemas ou qualquer trabalho além da emissão da apólice e receber, faça com que se esqueçam que o cliente existe? Será por isso que ao primeiro sinistro entendam que já não compensa tê-la como cliente? Terá dado assim tanto prejuízo à companhia que o melhor que conseguiram foi expulsá-la?

Não fui eu que recebi esta tão agradável carta, mas consigo imaginar o que a minha irmã terá sentido...

Deve ser assim como um murro no estômago, deve mesmo custar engolir! Ser assim rejeitado sem qualquer justificação, deve doer mesmo!

Tentou esclarecer e saber porque decidiram anular a apólice no seu vencimento e recebeu uma resposta bastante esclarecedora!

No final de cada contrato, quer o segurado quer a seguradora podem cessá-lo e foi o que fizeram. Quando perguntou qual o motivo simplesmente responderam que não têm que evocar nenhum... E toma! Querias saber? É?

"Não, não..", como diria o meu G.

Por acaso até nem sou cliente da Allianz... ainda bem!

Se fosse, iria agora pensar 2 vezes, sem dúvida.

Pensando bem, até nem foram assim tão desagradáveis quanto isso, ainda aproveitaram para "expressar o nosso agradecimento pela confiança depositada na Allianz..." Realmente foi uma confiança cega! Cega porque nunca tinha precisado, porque se tivesse sido o caso, provavelmente já não seria cliente há muito.

Também foram de certa forma muito atenciosos, ora vejamos... "A Allianz Portugal opta por lhe manifestar desde já esta sua intenção, permitindo que disponha do tempo suficiente para, caso assim o entenda, encontrar uma alternativa para o seu contrato." Digam lá se isso não é ser simpático? Até deixam que arranje alternativa mas só se assim o entender... porque pode muito bem circular sem seguro, não?

Enfim..., já não chega todas estas notícias diárias de austeridade e mais austeridade, de aperto de cinto, de cortes, etc..., ainda têm que vir estes ajudar à festa, como se até à data, não se fartassem de encher os bolsos às custas da minha irmã e de outros clientes que pagam, não reclamam e não accionam seguros!

Se bem que começo a desconfiar que a nossa família atraí prestadores de serviços de umas competência, consideração e atenção extremas! A ver vamos qual será o próximo!

 

 

 

 

publicado por Abigai às 17:17

Porque foi a primeira palavra do meu filho, e de nada querer dizer, diz-me muito...
mais sobre mim
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


Posts mais comentados
Visitas
pesquisar
 
Facebook
Portal dos Sites
blogs SAPO