Abigai

Junho 20 2011

O G. anda completamente perdido...

 

Surge uma paixão quando de repente o coração bate de forma diferente na presença de outra pessoa. Não se escolhe uma paixão. Ela chega e toma conta de todo o ser. Surge uma forte combinação química, mas exite um limite de tempo para se viver uma grande paixão.

A professora Cindy Hazan, da Universidade Cornell de Nova Iorque, diz: "os seres humanos são biologicamente programados para se sentirem apaixonados durante 18 a 30 meses". Ela entrevistou e testou 5.000 pessoas de 37 culturas diferentes e descobriu que a paixão possui um "tempo de vida" longo o suficiente para que o casal se conheça

A pesquisadora identificou algumas substâncias responsáveis pelo amor-paixão: dopamina, feniletilamina e ocitocina. Estes produtos químicos são todos relativamente comuns no corpo humano, mas são encontrados juntos apenas durante as fases iniciais do namoro. Ainda assim, com o tempo, o organismo torna-se resistente aos seus efeitos e toda a "loucura" da paixão desvanece gradualmente, A fase de atracção não dura para sempre.

Se se sente nas nuvens, conta horas e minutos para ver alguém, é certo que foi fisgado pela paixão. Em qualquer etapa da vida o indivíduo pode ser atingido por este sentimento. Com o passar do tempo a paixão termina ou transforma-se em amor, ternura, companheirismo e às vezes amizade.

Os homens parecem ser mais susceptíveis à acção dessas substâncias. Eles apaixonam-se mais rápida e facilmente que as mulheres.

 

Pois.... será?

O G. anda precisamente nesta fase! Completamente apaixonado pela B., tem tido atitudes estranhas e feito coisas nunca antes vistas!

Habitualmente, almoça no ATL à excepção das 2ª e 6ª feiras em que, por causas das aulas de apoio a Português e Matemáticas, tem que ficar na escola. Assim, só adquiro senhas de almoço na escola para esses dias. Nos restantes dias da semana, a carrinha do ATL vai buscá-lo a ele e muitos outros para irem almoçar e depois regressa pela mesma via para as aulas da tarde.

Na passada 3ª feira recebi um telefonema da responsável do ATL a questionar se estava previsto o G. almoçar na escola, isso porque a funcionária que o foi buscar ligou para ela a dizer que o G. não estava com os colegas e que estes disseram que ele tinha ido directo para o refeitório da escola.

Como as funcionárias do ATL não estão autorizadas a entrar na escola, nada puderam fazer pois o G. nem ao portão da escola se dirigiu para dar qualquer satisfação, e daí ligaram-me.

Pois bem, o G. resolveu ficar a almoçar na escola por conta própria e adquiriu a senha.

Porquê?

Para poder almoçar com a namorada, com quem nunca almoça porque não anda no ATL com ele e nos poucos dias em que ele fica na escola, ela almoça em casa!

Chega-me a casa todos os dias com os braço e mãos pintados com corações, com dizeres do género "Amo-te B" "B. és linda", etc.

Escreve as mesmas palavras nos cadernos, nos livros e até no quadro de controlo da escovagem dos dentes que tem na parede da casa de banho!

Já não larga o Facebook, fala com a B., comenta com colegas os beijos que vai dando, enfim... inúmeras coisas impensáveis para mim nessa idade.

Nesta fase anda preocupadíssimo com o aproximar do final do ano lectivo, a B. não anda no ATL e ele não sabe como vai conseguir estar com ela nas férias, até porque a mãe da B. não permite que ela namore e como tal, vai ser "difícil convidá-la, ir a casa dela ou combinar uma saída..."

E eu de boca aberta a olhar para ele, sem resposta para tanta argumentação....

Se tiver que esperar 18 meses para que esta fase passe, estou bem tramada! Nunca pensei ter que me preocupar com os namoricos do G. aos 10 anos! Com vai ser aos 13 ou 14? Qualquer dia está a pedir-me para passar a noite fora, não?  

 

 

 

Mudando de assunto mas ainda dentro da mesma temática, o novo membro da família, o Nemo, coelhinho anão angorá, foi passar o fim-de-semana fora connosco, em casa dos familiares que o ofereceram ao G. e também donos dos pais do Nemo e da irmã Ticha.

Passou a noite com a Ticha e, de regresso a casa no Domingo à noite, ficou amuado. Já não reage à nossa vóz, já nem os nossos mimos quer, ficou sem dúvida apanhadinho pela Ticha, como podemos ver nesta foto. A miuda de olhos vermelhos parece ter deixado saudades...

 

Nestes últimos dias, parece que o amor anda mesmo no ar....

 

In Activa

Imagem retirada da Internet

Foto de Ticha e Nemo a 19-06-2011

publicado por Abigai às 14:49

Junho 01 2011

 

Como os tempos mudam...

Com 10 anos, eu era uma criança inocente, brincava com bonecas, sonhava com príncipes encantados.

Não havia todas estas novas tecnologias que existem hoje, não havia computadores nem telemóveis, não pensávamos sequer em namorar.

As meninas brincavam com outras meninas e os rapazes jogavam futebol no recreio.

 

Hoje, tudo é diferente.

As crianças têm telemóvel, consolas de jogos, computador com internet e acesso a toda uma informação que no meu tempo não tínhamos.

 

E agora, o meu G., o meu pequeno G., com 10 anos, pouca maturidade mas extremamente popular pelos seus disparates e energia, de estatura baixa para a idade, magrinho que se farta mas com uma carinha de anjo sempre alegre, está a levar as coisas muito a sério!

 

Como contava neste post, a 23 de Março, o G. começou a namorar com a B. Ainda ontem me repetiu a data salientando que já namora há mais de 2 meses, o que indica que memorizou o dia!

Ao que parece, o namoro está muito sério...

Ontem, a B. entregou-lhe uma carta de amor, muito bonita, muito bem escrita, cheia de coraçõezinhos - sim, porque o G. faz questão de contar tudo à mãe e entregou-me a carta para eu ler! - deu-lhe ainda uma pulseira feita com muito amor - diga-se também muito bonita, a moça até tem jeito! -, e ainda um porta-chaves, também ele feito por ela.

Era só love naquela carta, promessas de amor eterno e lamentos por não estar 24 horas por dia com ele. Até dos beijos falava! Mas em relação a isso, não vou revelar mais nada!

Depois existe o Facebook...

Pelo menos, fica mais barato do que no meu tempo, quando tinha que usar o telefone e ouvia o meu pai reclamar por estar demasiado tempo a namorar ao telefone! Mas naquele tempo, não tinha 10 anos, devia ter uns 19 ou 20!

Agora as ferramentas são outras: telemóvel, mensagens escritas, facebook, etc.... tudo serve para namorar e não só, até é útil para confiar-se aos amigos do que faz com a namorada! Eu até fiquei gaga ontem quando me apercebi que, no facebook, o G. perguntava a um amigo se já tinha beijado a namorada na boca, é que ele já o tinha feito com a B. e até é muito fixe...

 

Será que estou a ficar velha, desactualizada e retrógrada? Ou também acham que isto de namorar aos 10 anos, andar aos beijos, confiar-se aos amigos na internet e até dizer que não consegue dormir porque só pensa na B., é um pouco precoce?

 

publicado por Abigai às 17:55

Março 30 2011

 

A cada dia que passa mais me surpreendo com o meu G.

Agora tem "estilo"!

 

"Sabes mamã, as meninas não querem saber só da cara, o estilo também conta para ser namorado"

 

De véspera escolhe a roupa com todo o cuidado, as calças têm que ser "à men", a camisola tem que condizer e de preferência ser folgada, as sapatilhas têm que ser com cordão, mas sem apertá-las, estes ficam por dentro, tem que usar lenço ou cachecol, e os adereço como por exemplo pulseiras em cordão ou pele, são fundamentais!

 

"Namora" desde a semana passada com a B.

Ontem, pela primeira vez, abraçaram-se!

Quando cheguei a casa estava em pulgas para me contar como foi o abraço, com ar tímido e acanhado. Lá lhe disse que não precisa de ficar embasbacado, pode falar à vontade connosco sobre o que se passa ou faz com a namorada, desde que haja respeito e sinceridade, os pais compreendem...

Confessou depois que tem pouco tempo para estar com a B., o que o entristece, ele almoça no ATL excepto às segundas e sextas, ela almoça na escola excepto às segundas e sextas. Andam desencontrados. Na sala de aulas, está sentado junto à A., e nos intervalos sente-se no dever de estar com os amigos... complicada a vida de pré-adolescente, não?

Os amigos gozam-no se deixar de estar com eles para estar com a namorada, supostamente fez dele lamechas!

E depois existe a A., a colega que fica junto dele na sala de aulas.

A A. é uma miuda muito meiga, simpática e atenciosa com o G. Sempre o ajudou muito nos estudo e por isso foi colocada na mesma mesa, é muito estudiosa e explica ao G. o que ele não entende. Ajuda-o nos trabalhos de casa pois anda no mesmo ATL, e quando o G. não sabe explicar os trabalhos que tem que fazer, é com ela que eu falo para percebê-los.

A A. perdeu o avô o ano passado, tinha uma relação muito próxima com ele e sente muitas saudades. Fala com frequência disso com o G. e existe muita complicidade com ele. Além disso, o único contacto de miudas memorizado no telemóvel do G. é precisamente o da A., e esta envia-lhe muitos SMS's!

A título de brincadeira, costumava dizer ao G. que a A. estava apaixonada por ele. o G. ficava danado comigo, dizia que não e por vezes até ficava ofendido por insinuarmos tal coisa.

Pois bem, ele agora está preocupado que seja verdade.

Ontem, a A. chorou ao ver o G. abraçar a B.

O G. perguntou-lhe o que se passava e ela desculpou-se dizendo que estava a pensar no avô, mas o G. ficou desconfiado e hoje de manhã disse-me que seria muito melhor que ela lhe dissesse a verdade, não a quer magoar.

 

Nunca pensei que aos 10 anos a vida amorosa pudesse ser tão complicada...

 

 

publicado por Abigai às 13:38

Março 26 2011

 

 

Ainda na passada terça-feira, o G. estava completamente em baixo. Hoje já parece outro!

E a que deve esta mudança? Pois bem.... a uma miúda!

A semana passada recebi um telefonema da directora de turma do G. muito preocupada com a baixa de resultados nos últimos testes.

Nada que me surpreendesse, pois estava à espera que isto acontecesse. O primeiro período é mais fácil e sabia que quando as coisas começassem a complicar, as dificuldades tomariam as rédeas. E é isto mesmo que está a acontecer.

Só tem positivas a história e ciências da natureza onde apenas decorar matéria é sufuciente. Nas restantes disciplinas em que a compreensão e o raciocínio são fundamentais, os resultados são negativos.

Não desespero com isso, não estou propriamente satisfeita, como é óbvio mas sei que não é por falta de estudo, sei que não é por falta de esforço e dedicação. A matemática por exemplo, o G. impressiona-nos com a sua grande capacidade em elaborar cálculo por vezes complicados, mas quando chega aos testes, o caso complica-se pois antes de fazer qualquer cálculo, tem de perceber qual deles aplicar e, sem perceber o enunciado, é mesmo impossível.

Este é que é o grande problema: a compreensão. Tem também muita dificuldade em adquirir e assimilar vocabulário novo, o que tem afectado muito a disciplina de Português. Além disso, continua uma criança demasiadamente preocupada e angustiada, complicando ainda mais a situação.

Na passada terça-feira, passou o serão a chorar, sem saber explicar muito bem porquê e preocupado por achar que o pai não gostava dele! Cisma em coisas sem nexo, e com muita dificuldade o conseguimos convencer do contrário. Que achasse que a mãe não gostava dele, eu até compreendia - embora não aceitasse, pois é totalmente disparatado - mas o pai? Passam a vida na brincadeira, mais parecem duas crianças do que pai e filho, são iguaizinhos até nos disparates, nas asneiras e no feitio. São ambos impulsivos, fazem e depois pensam, quando ralho com um tenho mesmo é que ralhar com os dois, e mesmo assim, apesar de toda a atenção que o pai lhe dá, mesmo depois de passarem horas às lutas, nos jogos, na brincadeira, o G. achava mesmo que o pai não gostava dele!

E tirar-lhe isso da cabeça? E fazer com que compreendesse que não fazia sentido? Enfim... acabou por passar mas é realmente esgotante ver um filho, ainda tão novo, criar angústias e ficar deprimido desta forma, sem saber muito bem como ajudá-lo, como ajudá-lo a ver que estas cismas não fazem sentido, que está a sofrer sem qualquer necessidade.

Já na quarta-feira, o G. estava mais animado, menos em baixo e preocupado com a roupa que iria vestir no dia seguinte. Pela primeira vez, queria ser ele a escolher a roupa. Acabou por tirar quase todas as camisolas do roupeiro, experimentou todas, até escolher a certa, o mesmo com as calças e até com o casaco... Achei aquela cena toda muito estranha e suspeita e até lhe perguntei a quem queria agradar.... Ele ficou corado e não me deixou dizer nem mais uma palavra - e até tapou-me a boca para eu não me atrever a falar mais. Confesso que fiquei com a pulga atrás da orelha, mas achei imensa graça à situação.

No dia seguinte, confessou que tem uma namorada! A cena repetiu-se e agora tem um cuidado impressionante no que toca à roupa, ao cabelo, a até já quer levar o telemóvel para a escola!

Ontem, às 6h30 da manhã, já estava pronto para seguir para a escola, devia querer ser ele a abrir os portões! Levantou-se às 6h, lavou-se, vestiu-se, preparou os cereais para o pequeno almoço, pôs gel no cabelo (para ficar mais giro, para agradar à miúda!) e depois veio tirar-nos da cama, apressado para sair!

 

 

 

publicado por Abigai às 15:21

Março 09 2010

Ontem à saída do ATL...

 

- Mãe, sabes a Beatriz?

- Sim filho....

- Acabou comigo...

- Acabou? Mas porquê?

- Não sei... não disse, só disse que não quer mais ser minha namorada...

- Oh, filho e tu?

- Deixa-lá, não tou triste....

- Não filho?

- Não, quando for para o 5º ano, vou conhecer mais meninas...

 

 

Desgosto amoroso ou planeamento do futuro?

Não há dúvida que foi um namorico muito rápido....

 

publicado por Abigai às 08:43

Porque foi a primeira palavra do meu filho, e de nada querer dizer, diz-me muito...
mais sobre mim
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


Posts mais comentados
Visitas
pesquisar
 
Facebook
Portal dos Sites
blogs SAPO